Promoção Social - criado em 16/05/2017

Caminhada contra a violência Infantojuvenil

 

Para marcar o Dia Nacional de Combate à Violência e Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes, lembrado em 18 de maio, o CREAS (Centro de Referência Especializado em Assistência Social) e a Rede de Enfrentamento à Violência, Abuso e Exploração Sexual Infantojuvenil, promoverão uma ação para chamar a atenção da sociedade sobre o tema: “A 2ª Caminhada pelo fim da violência contra crianças e adolescentes”. A ação será realizada nesta quinta-feira (18), às 13h30, com concentração em frente ao CREAS.

Do CREAS, que fica à rua João Evangelista, 416, no centro, a caminhada segue até a Praça dos Amores, com previsão de chegada às 14h30. Participarão alunos de todos os Centros de Convivência, escolas municipais e estaduais, além de autoridades, profissionais dos CRAS –Centro de Referência de Assistência Social, CREAS, agentes de saúde, diretores de escolas e parceiros da Rede de Enfrentamento. Toda população está convidada para participar da ação.

“O objetivo é ampliar os conhecimentos dos profissionais envolvidos direta e indiretamente com o referido público e de incentivar a população a denunciar os casos de violência contra crianças e adolescentes, divulgando o serviço ‘Disque 100’, através do qual a denúncia pode ser feita de forma anônima.”, disse a Secretária de Promoção Social, pasta que faz parte da Rede de Enfrentamento.

Após a caminhada, os alunos dos Centros de Convivência irão fazer uma apresentação de canto. Além disso, uma oração será feita em intenção às crianças e adolescentes vítimas de violência com a participação de todos os presentes.

O número de casos de violência contra crianças e adolescentes tem aumentado consideravelmente em todo Brasil. Atualmente, quase 350 casos estão sendo acompanhados em Itapetininga, dentre os quais estão: violência sexual, violência física, negligência e abuso psicológico.

 

Dia Nacional de Combate à Violência e Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes

 

O 18 de maio foi escolhido para representar o Dia Nacional de Combate à Violência e Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes porque no ano de 1973, em Vitória (ES), um crime bárbaro chocou todo o País e ficou conhecido como o “Crime Araceli”. Esse era o nome de uma menina de 8 anos de idade, que foi raptada, violentada, morta e carbonizada por jovens da classe média alta daquela cidade. Esse crime, apesar de sua natureza hedionda, prescreveu impune. A data ficou instituída como o “Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes” a partir da aprovação da Lei Federal nº. 9.970/2000.

Todas as notícias