Agricultura, Agronegócio, Trabalho e Desenvolvimento - criado em 16/03/2017

Encontro discute política para fortalecer agricultura

 

 

         Itapetininga possui uma agropecuária diversificada e forte.  Quem confirma isso é o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) que aponta que o município tem destaques estaduais em mais de dez tipos de atividades econômicas no campo. Os números foram apresentados durante o 1º Encontro para o Desenvolvimento do Agronegócio de Itapetininga no auditório da Secretaria de Agricultura, Agronegócio, Trabalho e Desenvolvimento, no centro da cidade. O evento reuniu representantes da prefeitura, governo estadual e produtores para fortalecer ainda mais o setor.

         O município ocupa as primeiras posições em nove tipos de cultivo. Entre os destaques estão a 2ª colocação estadual na produção de laranja com 428 mil toneladas/ano; O terceiro lugar na colheita de milho com 133 mil toneladas/ano e também a mesma colocação com batata inglesa ao alcançar 80 mil toneladas/ano; Com 4,8 milhões na produção de aves anuais, Itapetininga está em 6ª posição estadual. Responde também por 40% da produção estadual de grama. Os destaques se repetem em melancia, silvicultura, soja e leite.

Distritos de Itapetininga

                Em cada um dos distritos, há uma vocação da agropecuária que a atual gestão quer ampliar e desenvolver com geração de renda e emprego. No Distrito da Conceição são produzidos em larga escala: melancia, soja, milho, tomate, pepino, pimentão, frango (granja) além do plantio de eucalipto, de acordo com dados levantados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). É uma localidade distante 23 quilômetros do centro de Itapetininga, com 1,3 mil habitantes, conforme dados do órgão.

Já no Distrito do Gramadinho, que fica a 33 quilômetros do centro, é o terceiro mais distante da área urbana. Sua produção agrícola está baseada em 10 produtos: milho, soja, tomate, pepino, pimentão, abobrinha, leite, frutas, batatas e uva. Segundo o censo do IBGE, a localidade conta com 2 mil pessoas. O escoamento da produção é feito pela Rodovia Professor Francisco da Silva Pontes (SP-127).

         No Morro do Alto, com 1,4 mil moradores, tem uma agropecuária que envolve, basicamente, oito itens: tomate, pepino, pimentão, búfalo, grama, batata, frango (granja) e eucalipto. É o distrito mais próximo do centro, distante 14 quilômetros. A via de acesso é a Rodovia Antônio Romano Schincariol (SP-127).

O Rechã é o que possui a agricultura mais concentrada: com fruticultura (laranja), frango, eucalipto, grãos e mel. Tem o maior número de habitantes entre os seis distritos de Itapetininga, com 4,7 mil moradores. Também é o mais distante do centro da cidade: 42 quilômetros. A rodovia de acesso é a Raposo Tavares. A localidade faz divisa com Angatuba.

Outro Distrito é o Tupy, conforme o levantamento, produz grama, cana-de-açúcar, mel, pera, atemoia, soja, milho, eucalipto e batata. De acordo com o IBGE, aquela região possui 2,3 mil moradores. Está distante 32 quilômetros em linha reta entre Tupy e o centro de Itapetininga. O escoamento da produção também é feito pela Raposo Tavares.

 

Com 2,4 mil habitantes, Varginha é responsável por uma cesta diversificada de produção com basicamente 10 produtos: tomate, pepino, pimentão, leite, milho, soja, caqui, pêssego, nêspera e uva. O segundo mais distante, Varginha está afastada 35 quilômetros do centro em linha reta, aponta o estudo. Os principais bairros são: Cantagalo, Areão, São Roque, Espigão, Retiro e Pescaria. O acesso é feito pela SP-127. 

Todas as notícias